quinta-feira, 21 de abril de 2011

sofrer d àlma

Percebo a tristeza em seus olhos, não julgues pelo que vês... Eu tambêm guardo mágoas de um passado perdido, queria poder demonstrar meu carinho imenso por ti. Você é diferente, sensível, e eu sou apenas uma florzinha amarela num campo de lírios...
...a vida me deu você de presente e eu agradeço muito por isso.
Sorria, a vida é bela e eu jamais permitirei que fiques sozinho.
Estarei até o fim ao seu lado, mesmo que a distância... acredites e confie o amor é tudo, sem ele a existência não haveria sentido algum.
Estar tão perto e não poder ao menos lhe tocar é um flagelo horrível para um coração sensível como o meu.

Quando o coração diz sim

Quando a razão diz não

mas o coração diz sim
Duas forças sempre lutam
dentro de mim...


E a ilusão que nunca
da ouvido a lucidez
Se entrega corpo e alma
nos braços da insensatez


Fantasia faz a festa
a emoção empresta
a chama e o calor


A paixão nos alucina
e a gente sonha estar
vivendo um grande amor...um grande amor...


Um coração de amor, desencantado...
nem aos apelos de vida responde
Ave ferida, num vôo assustado
foge pra mata, por medo, se esconde...

Hoje o coração diz não
mas a solidão diz sim
Duas forças também lutam
dentro de mim


Só recordações então
aliviam o meu viver
Tudo que me resta agora
é saudade de você...








terça-feira, 19 de abril de 2011

O amor maior do mundo

Encostei a porta somente, podia ter trancado ou batido ou então deixado escancarada para que todos pudessem entrar... Mas não foi isso que fiz, encostei e esperei que algo de bom viesse feito brisa da manhã.
Esperei como é de praxe nessas ocasiões, serena que sou ponderei, e enfim me rendi as evidências. O grande amor da minha existência jamais passará por essa brecha. Porque ele é grande demais para passar por um lugarzinho tão estreito. Eu esperava um amor normal, tranquilo e encontrei um amor bem maior, que transcende tudo que é real, eu acredito e isso é o que importa.

sábado, 16 de abril de 2011

Brejeirices



Há menina, moleca, faceira e cheia de sonhos... Cabecinha de vento, perdida nos sonhos, cestinha de ovos nas mãos.
...se encanta com tudo que vê e brinca com os pés desejando um dia ser grande.
Bela menina de olhos castanhos para ti nada é nada e o mundo inteiro cabe em apenas um sonho, escondinho na palma da mão.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Memória


Amar o perdido
deixa confundido
este coração.


Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.


As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão


Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.


Carlos Drummond de Andrade


domingo, 10 de abril de 2011

As portas da vida


Elas estão lá, o tempo todo. Só esperando um simples gesto, o girar da maçaneta.
Nossos atos cotidianos bons ou ruins, determinam a porta a ser aberta...
Só depende de nós, qual delas se abrirá?
Deveria haver uma terceira porta.
Nem tudo se resumo em bom ou ruim, em bem e mal.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

As pedras

Andei muito por esses caminhos, haviam muitas pedras, há muitas pedras. Tudo parece não ter fim, essa estrada estreita e longa...
E eu nem tenho direito a felicidade, essa estranha que sempre habitou meus sonhos. Pena que existe um tal de destino que conspira contra meu ideal de vida.
Meu sonho se distância a passos largos, eu sou incapaz demais para mudar o mundo e toda essa realidade.

Sou apenas uma menininha com seu vestido de chita...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Florzinha


Ela era uma flor pequena, singela e delicada. A aspereza de sua vida simples e brutal aos poucos foi destoando suas cores e tirando seu viço. A mais leve brisa levou-a pra longe, fazendo suas pétalas flutuar em outras terras...

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Eu disse...

Eu avisei pro meu coração que dessa vez seria a última, expliquei que amar é complicado e que eu não tinha tempo pra isso.
Ele então me disse apaixonado que queria algo diferente, excitante e carismático...
Fiquei surpresa, o que será que esse velho coração matuto me reservava de novo, justo eu tão fria e distante. então ele me mostrou um caminho diferente dos que eu já conhecia. Nada de esperar o amor germinar, peque uma flor já desabrochada, assim que deve ser, dê uma chance a quem gosta de ti.
Pensei, será? Resolvi dar ouvidos novamente, talvez... uma chance a mais não me fará mal.
E não é que deu certo, em vez de ficar esperando o telefone tocar, a carta chegar e os imails encherem minha caixa de mensagens. Eu simplesmente deixo acontecer, sem promessas nem desilusões. O que vier acontecer é porque os dois queriam e muito se dar uma chance...
Meu coração me ensinou uma lição: Amor moderno não faz mal, quando temos a mente aberta para o futuro...